top of page

Google Ads ou Facebook Ads: qual é o melhor para investir





Escolher entre o Google Ads ou Facebook Ads na hora de fazer seus anúncios é uma importante decisão e uma grande dúvida para muitas pessoas.


Essa é uma escolha que depende de muitas variáveis, pois os dois são links patrocinados que podem gerar bons resultados na sua estratégia, mas é importante saber como escolher o ideal.

Por exemplo, o faturamento do Google Ads é bastante expressivo, mas o Facebook Ads se mostra como uma importante ferramenta em marketing e vendas.


A cada atualização do Google ou do Facebook, cai mais o tráfego orgânico, de forma que é essencial o investimento em anúncios para o sucesso das estratégias de marketing digital.


Dessa forma, as mídias pagas são uma saída para garantir que seu conteúdo tenha abrangência e que se conquiste leads mais preparados.


Neste artigo vamos pontuar as duas plataformas, suas vantagens e desvantagens e comentar como você pode fazer a melhor escolha.


Por que é importante buscar mídia paga?


Bem como uma empresa terceirizada de limpeza de escritório sabe, a internet vive hoje sua segunda geração, a chamada Web 2.0. Essa nova fase trouxe o conceito de internet como uma plataforma, trazendo junto uma série de fatores, como:

  • Blogs;

  • Redes sociais;

  • Fóruns;

  • Enciclopédias colaborativas, como a Wikipedia.

Já no início da Web 2.0, muitos empreendedores viam nos sites de relacionamento uma boa oportunidade para se aproximar de seus consumidores e divulgar seu produto ou serviço.


Não demorou muito para que as empresas de tecnologia percebessem que ali havia de fato um potencial interessante para a venda de espaços para publicidade.


E foi então que quase duas décadas depois, muita coisa mudou com um grande aprimoramento das redes sociais, seja para o mal ou para o bem.


Nesse contexto, foram criados mecanismos específicos para o desenvolvimento de publicidade, consolidando o marketing digital.

Entre as mudanças trazidas nos últimos anos, existe uma maior especificidade nos algoritmos para determinar qual conteúdo é relevante para cada usuário, sendo assim que funciona no Google, no Facebook e em outras plataformas online.


Para uma empresa de treinamento e consultoria e para os mais diversos segmentos, isso afetou bastante os resultados orgânicos, que passaram a ser mostrados conforme a ordem de relevância determinada pelo sistema.


Nesse sentido chegamos ao cenário atual onde é possível atingir o público sem pagar, por meio de tráfego orgânico, mas esse é um trabalho incerto e que tende a ser bem demorado.

Assim, investir em mídias pagas se torna cada vez mais essencial para garantir o sucesso da campanha e se certificar que o anúncio chegue até as pessoas certas.


Isso não significa que os esforços em SEO (Otimização para Mecanismos de Busca) devem ser interrompidos. O segredo é utilizar tanto o SEO quanto as mídias pagas em conjunto e de forma complementar em sua estratégia.


Google Ads


Trata-se da ferramenta de publicidade do Google, que surgiu em 2000, apenas três anos após o lançamento de seu primeiro e mais conhecido serviço: o motor de busca.


Durante quase 19 anos de funcionamento, a plataforma passou por algumas mudanças, dentre elas a troca do nome que inicialmente era Google AdWords.


Atualmente, a venda de anúncios publicitários se tornou a maior fonte de renda para a empresa. Segundo números divulgados no primeiro trimestre de 2019, dos US$36,34 bilhões em receita bruta, 84% vem da venda de serviços de publicidade.


Essa é uma informação importante para sua empresa de pneus para automóveis para entender melhor as duas plataformas.


Como funciona


A plataforma trabalha com um sistema de publicidade que considera o CPC (Custo por Clique) ou o CPM (Custo por Mil Impressões).

Dessa forma, o anunciante pode escolher se vai pagar pela visualização se sua intenção for ter um grande alcance, ou se prefere pagar por cada usuário que clicar no anúncio, caso resolva primar por pessoas que demonstraram algum interesse na oferta ou solução.


Nesse sistema, para garantir que seu anúncio vai aparecer para o público certo, é necessário formular uma lista de palavras-chave relacionadas com o seu serviço ou produto.


Serão esses termos que serão utilizados para colocar sua marca de equipamentos de proteção individual nos resultados de busca, dependendo do que for pesquisado pelo usuário.


Vantagens


Essa é uma ferramenta extremamente útil, uma vez que permite que você aborde o cliente no momento em que ele está focado em achar uma solução para o seu problema.

Afinal, ao pesquisar por um produto significa que a pessoa quer saber mais informações sobre ele e ver as ofertas disponíveis.


Outro fator importante é que o Google cruza as informações coletadas em todas as pesquisas do usuário, traçando o perfil de cada um, o que garante que a propaganda certa vai aparecer para a pessoa certa.


Desvantagens


Não adianta nada criar uma campanha com ofertas agressivas se você está anunciando um produto que precisa de um grande período de convencimento, como um imóvel.

Tenha sempre em mente que o Google é ideal para anúncios focados em quem já tem certo interesse pela oferta.


E também de nada adianta divulgar um produto totalmente novo que ninguém conheça na rede de pesquisa, pois a palavra-chave não será pesquisada.


Uma boa palavra-chave como “configuração de roteador” leva os usuários até as melhores soluções para eles.


Facebook Ads


Seguindo uma tendência mundial, a empresa de Mark Zuckerberg lançou em 2007 sua própria ferramenta de marketing e publicidade.


Assim, o Facebook Ads permitia a veiculação de anúncios dentro da rede social, além de liberar a criação de páginas comerciais para empresas que quisessem divulgar suas soluções.


Agora, mais de uma década depois, os lucros com publicidade se tornaram uma parte fundamental da receita da organização.


Como funciona


Para começar a investir em publicidade no Facebook, é preciso ter claro qual é o objetivo da campanha, seu público-alvo e o orçamento que tem disponível.

Vai ser o objetivo que vai determinar o formato do anúncio, as informações apresentadas na peça que pode ser gráfica ou audiovisual, e eventuais links para contato ou compra.


O próximo passo é criar uma segmentação do público, fornecendo informações relevantes para construir um perfil de cliente ideal.


Se sua empresa de transporte de veículos particulares já tiver uma audiência no Facebook ou Instagram, é possível criar uma segmentação derivada de seu público atual.


Por último, você deve configurar o orçamento que será gasto na campanha e programar os dias em que ela será veiculada.


Vantagens


Hoje o Facebook é a maior rede social do mundo, com 2,41 bilhões de usuários ativos segundo o Statista. Somente no Brasil são mais de 127 milhões de pessoas com um perfil na rede, o que dá mais da metade de toda a população.


Dessa forma, a rede é uma campeã de audiência, sendo essa a principal vantagem de fazer publicidade ali.


Desde os mais jovens até os mais velhos, de autônomos a grandes empresas como uma companhia de eletricista predial e residencial, todos estão no Facebook.


Desvantagens


Mesmo que o Facebook seja ideal para impactar uma grande audiência, ele não dá garantias de que quem visualiza o anúncio está pronto para comprar.

Isso ocorre porque o serviço faz a entrega dos anúncios por interrupção, o que significa que o conteúdo publicitário aparece entre as publicações de um amigo e de outro.


Ou seja, todos que estão navegando podem ser impactados, mas na maioria das vezes, a visualização do anúncio não garante a compra e nem mesmo o clique.


Conclusão: Como escolher o melhor para você?


Para avaliar as funcionalidades entre o Google Ads e o Facebook Ads, tudo vai depender de qual é sua intenção com o anúncio.

Leve em consideração questões sobre quem é seu público e como ele costuma traçar sua jornada de compra. Assim você pode criar publicidades que atendem demandas específicas.


Dessa forma, talvez não valha a pena anunciar uma marca ou produto novo apenas em redes de pesquisa, pois as pessoas ainda não conhecem a solução para pesquisar por ela.


Considerando que o alcance do Google seja maior, é na rede social que se ganha mais vantagem na especificidade da segmentação.


Mas se você está oferecendo um produto muito específico, como uma cama hospitalar motorizada, esse é o caso perfeito para investir em anúncios para quem pesquisa por isso na internet.


No final das contas, a escolha entre uma plataforma ou outra depende de diversos fatores, como histórico da marca, do produto, um estudo sobre o público, entre outros.

E nesse ponto cabe trazer o questionamento: será que não é uma boa ideia usar as duas ferramentas ao invés de escolher uma só?



Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


44 visualizações

Comments


bottom of page