Entenda sobre a lei LGPD e o que muda no Marketing


Ainda existem muitas dúvidas com relação a lei LGPD e o marketing. Afinal, a nova legislação, que entrou em vigor em maio de 2021, estabelece diferentes regras para a coleta de dados de consumidores, bem como seu armazenamento e proteção.


Em termos gerais, a LGPD, também conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados ou Lei 13.709, foi criada para proteger os usuários de terem seus dados coletados sem sua vontade ou vazados, o que estava acontecendo com diversas empresas.

Por isso, a lei estabelece uma série de informações sobre os clientes que devem ser detalhadas e trabalhadas com mais cuidado, garantindo mais controle sobre as situações apresentadas em uma empresa de, por exemplo, óculos de proteção com grau.


Entretanto, caso existam vazamentos de informações ou problemas com a segurança nos dados dos clientes de uma empresa, a LGPD prevê multas que podem chegar a cinquenta milhões de reais, por isso, é muito importante saber como lidar com esse tipo de ação.

Para garantir mais transparência e assertividade nos dados, existem algumas ações que foram separadas especificamente para esse tipo de atividade. Dados sensíveis, por exemplo, não podem ser considerados para nenhum tipo de interação.


São considerados dados sensíveis:

  • Origem racial ou étnica;

  • Orientação sexual e identidade de gênero;

  • Opinião ou filiação política;

  • Escolha de ordem religiosa.

Entre outros elementos que envolvem dados pessoais e privados dos consumidores.


Ademais, a LGPD garante a proteção dos consumidores para estes dados, atendendo assim ao princípio da não-discriminação, que deve ser levado muito a sério.


Por conta de todas as informações referentes a esse tipo de ação, é importante que as empresas saibam como trabalhar seus dados corretamente e entender qual é a verdadeira necessidade de algumas ações dentro de, por exemplo, uma empresa de automação industrial.


Uma das áreas mais impactadas nessa mudança é justamente a de marketing, uma vez que é com ele que é possível compreender estas mudanças e como trabalhar para conseguir resultados mais satisfatórios para a empresa, mantendo-se dentro das regras.

Além disso, é importante dizer que o setor de marketing utiliza dados constantemente, tanto para o planejamento estratégico de suas ações quanto para a identificação do público-alvo, além de outras ações exclusivas.


Por isso, é importante saber como lidar com esse tipo de mudança para garantir mais efetividade em suas ações, garantindo assim que o setor não sofrerá com as mudanças impostas pela nova lei.


Mudanças no mercado com a LGPD


Algumas das principais mudanças com relação ao marketing e suas estratégias geradas pela LGPD têm elementos simples, que podem ser estruturados de forma mais adequada para atender as necessidades de quem está realizando as ações.


Por conta disso, é importante saber quais são essas mudanças e seus principais impactos no marketing digital, uma vez que ele lida diretamente com a consulta a dados e informações relevantes de clientes de, por exemplo, uma confecção de uniformes.


Consentimento de entrega de dados


Uma das principais mudanças da lei dita que os dados de seus clientes só poderão ser coletados, armazenados e gerenciados com uma autorização expressa e clara do dono das informações, autorizando que a empresa trate dos dados.

O usuário ainda tem o direito de questionar e verificar os dados sempre que precisar, tendo o acesso para correção de informações incompletas ou mesmo a remoção de algumas na base da empresa de manutenção de geradores SP ou de outro ramo.


Muitas companhias já faziam esse tipo de ação porque era o caminho mais ético a se seguir, mas agora, o consentimento é obrigatório por lei, sob pena de sanções para a empresa que deixar de alertar o consumidor.


Além disso, agora o usuário tem mais controle sobre seus dados, podendo escolher se eles vão ser usados em ações ou se devem ficar em anonimato, ou até mesmo bloqueados por um período para que a empresa não o utilize.

Dessa forma, a empresa garante que o consumidor compreenda exatamente os motivos que a fazem utilizar estes recursos e porque é necessário coletar estes dados. Inclusive, muitas ações de marketing dependem deles para serem estruturadas.


Então, quando o cliente não deseja mais fazer parte do grupo de informações de teste para a montagem de campanhas publicitárias e de marketing, pode simplesmente solicitar sua retirada do banco de dados de, por exemplo, uma fábrica de tubos de aço, sem problemas.


Clarificar o interesse do coletor


Esta informação também é importante para que você saiba como trabalhar com qualidade e são muito importantes para que você consiga decidir o que fazer e como fazer para trabalhar os dados de seus clientes.


É importante que o consumidor saiba exatamente porque você está coletando os dados deles, quais são os interesses da empresa e, caso você precise compartilhar estes dados com outras empresas, quais empresas terão acesso.


Muitas empresas não possuem setores de marketing próprios, e contam com empresas terceirizadas (agências) para esse tipo de ação. Neste caso, quem trabalhará os dados do cliente é essa empresa, e ele precisa ser alertado disso.

É fundamental que você tenha a compreensão necessária para lidar com esse tipo de ação, garantindo assim que sua estrutura estará muito mais adequada para conseguir lidar com cada detalhe entre as empresas, garantindo a segurança dos dados em todo momento.


Além disso, é preciso deixar muito claro para o consumidor seu interesse, para que não haja nenhum tipo de confusão que possa atrapalhar. Garantir uma tranquilidade maior é fundamental para o sucesso de sua empresa de gerenciamento de resíduos ou outro ramo.


Novas estratégias menos invasivas


Um dos pontos essenciais de trabalhar o marketing com a LGPD em vigência é pensar em novas formas de organizar as estratégias e o planejamento.


Isso acontece porque a lei não tem o menor interesse em ser um empecilho para o trabalho comercial de nenhuma empresa, nem tem o interesse de reduzir resultados. Por conta disso, a lei acaba sendo ainda muito permissiva, possibilitando uma série de interações.

Entretanto, essas novas interações precisam ser trabalhadas com mais cuidado, para que você consiga resultados de qualidade enquanto se adequa à lei, garantindo que seu negócio continuará prosperando.


As práticas mais invasivas ou discriminatórias, que utilizavam informações coletadas de clientes para conseguir saber mais sobre eles e definir com que tipo de público você negociaria, estão fora de questão.


Existem até hoje empresas conhecidas como data-brokers, que nada mais são do que companhias que compilam listas de contatos e vendem para interessados na internet, que podem ser negócios de todos os ramos.

Esse tipo de ação atualmente é configurada como vazamento de dados, e terá que ser deixada de lado. Por outra visão, entretanto, isso significa que o processo de conquistar as informações dos clientes se tornou muito mais honesto e ético.


Trabalhando com cookies


Os cookies são uma série de identificadores que ficam salvos em dispositivos de pessoas que frequentam as páginas de, por exemplo, empresas de contabilidade ou de quaisquer outros ramos de atuação.


Essas informações são cruciais para ações de marketing, uma vez que é através delas que é possível mensurar e avaliar a qualidade de uma estratégia, além de monitorar o comportamento de seu cliente e outros processos.


Alguns desses dados, de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados, podem ser considerados dados pessoais e estar sob o regime da legislação, sendo importante que você identifique se seus cookies se enquadram nesta categoria.

Não há dentro da lei uma área específica para lidar com cookies. Entretanto, o ideal é que você saiba como se adequar e evitar transtornos no futuro por conta desse tipo de tecnologia para, por exemplo, a sua consultoria de TI para pequenas empresas.


Nada além do necessário


As ações de marketing têm sido trabalhadas em um regime de uso mínimo de dados. O ideal nestes casos é conseguir coletar e utilizar apenas aqueles que são muito necessários para que você consiga obter seus objetivos.

Todos os outros dados que possam ser deixados de lado não devem ser coletados, facilitando assim para que a empresa esteja de acordo com a lei, ainda que esteja trabalhando com armazenamento de dados para montar suas estruturas de marketing.


Considerações finais


A maioria das empresas ainda têm que lidar com muitas mudanças para estar 100% de acordo com a LGPD. Por isso, as empresas que se alinham a esse modelo de negócios acabam saindo na frente e se tornando mais relevantes no mercado.

Quando você compreende a utilização dos dados de clientes, sobretudo em ações de marketing, é mais fácil conseguir lidar com estes dados e encontrar soluções mais satisfatórias para conseguir trabalhar dentro de sua empresa.



Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo