top of page

Como adaptar suas estratégias de marketing digital à era sem cookies

Atualizado: 23 de ago. de 2022




Conforme a internet foi se tornando ainda mais acessível para as pessoas, foram criadas estratégias para que as empresas tivessem resultados melhores. Assim, em uma era sem cookies, devemos pontuar que o marketing digital precisa de uma adaptação.


Isso acontece, principalmente, para que a estratégia continue trazendo os números que uma companhia precisa. Porém, até o presente momento, o marketing digital está intensamente relacionado ao uso de cookies.


O que são cookies?

Basicamente, os cookies são pequenos arquivos de textos que ficam salvos dentro de um navegador. Você pode se recordar dos cookies, quando entra em um determinado site onde aparece uma mensagem do tipo “você está de acordo com os cookies?”.


Para algumas pessoas, esses cookies podem ser recordados como uma maneira do site otimizar sua navegação.


Como exemplo, basta entrar em um site de gestão de condomínios. Após o primeiro acesso, será bem mais fácil entrar no site e, além disso, você perceberá que anúncios relacionados a suas últimas pesquisas irão aparecer.


Por sua vez, esses documentos criados em muitos sites, podem ter as mais variadas funcionalidades de acordo com os gestores do site


Os cookies podem ser reconhecidos por evitar que o usuário tenha que ficar repetindo certas atividades dentro do site. Um exemplo que podemos citar é o fato dos usuários não precisarem mais preencher certos formulários.


De certo modo, essa otimização acaba sendo bastante útil, considerando que muitas pessoas estão com menos tempo livre. Dessa forma, acessar um site que vende sistemas de alarme residencial, por exemplo, pode se tornar uma experiência mais rápida.


Para o marketing digital, os cookies conseguem ser extremamente úteis pelo fato de salvar informações, como as páginas que um usuário visitou recentemente.


Cookies de login

Para que você possa entender melhor como funcionam os cookies de login, basta imaginar você entrando em um evento onde as pessoas não são autorizadas a frequentar o local.


Desse modo, para garantir que a organização não precise a cada momento verificar os seus dados para permitir que você fique, eles te entregarão um crachá que te dará acesso ao evento.


Assim, a equipe não precisará mais verificar os seus dados para cada passo seu. Na internet, quando você faz login em um site, um cookie pode ser criado para que você tenha uma espécie de crachá para ter um acesso mais livre dentro de uma página na internet.


Novamente, vemos como os cookies podem ser úteis não apenas para o marketing digital, como também para os usuários.


É muito comum que pessoas façam pesquisas rápidas, seja para qualquer finalidade. Geralmente são pesquisas para comprar ou contratar algo, como uma empresa de instalações elétricas, conforme o site tenha a tecnologia, melhor será a liberdade.


Cookies no marketing

Iremos usar novamente, uma situação que costuma acontecer mais vezes na vida real. Imagine que você visita frequentemente uma única loja de sapatos. Logo, o vendedor saberá o seu gosto, e também, obviamente, os produtos que você costuma comprar.


Por isso, quando você vai à loja, o vendedor já sabe quais sapatos apresentar para você, de acordo com seus interesses.


Até então compreendemos que os cookies podem funcionar como uma forma de otimizar a navegação do usuário no site, assim como uma automação elétrica é eficaz para que todos os circuitos de uma rede funcione de forma funcional.


Vindo para um cenário que faz mais sentido com o artigo, imagine que você comprou um produto na internet. Através dos cookies de marketing, é possível que empresas exibam anúncios que podem te interessar, afinal, estes anúncios são feitos com base nas suas últimas procuras.


Diante desse contexto, podemos observar como os cookies conseguem ser úteis para empresas que trabalham diretamente com vendas, como é o caso de companhias que fazem projeto de iluminação industrial, que precisa do marketing digital para aumentar o seu alcance e também, dos cookies para fidelizar os clientes.


Expectativas do marketing digital sem os cookies

A expectativa é que, em até dois anos, toda campanha digital deverá estar preparada para sobreviver sem os cookies. Caso isso não aconteça, o marketing funcionará de outras formas.


O Google já fez um anúncio relacionado ao uso de cookies, onde ele procurou realizar bloqueios dessa utilização nos principais navegadores. O resultado disso é que o mercado de publicidade e marketing foi afetado diretamente.


Diante de tal anúncio, muitas especulações foram levantadas sobre como uma empresa de construções e reformas, por exemplo, iria atuar com as publicidades. Logo, o cenário se tornou preocupante, até que então, especialistas já levantaram a necessidade de se adaptar a uma era sem cookies.


Por mais que as empresas tentem driblar essa ação da Google, usando navegadores não tão populares, todos os esforços serão em vão, visto que o mecanismo de busca mais popular do mundo já fez as devidas mudanças em praticamente todas as plataformas.


Já no Reino Unido, de acordo com a decisão da Autoridade de Competição e Mercados do Reino Unido (CMA), a alteração dos cookies foi adiada para o ano de 2023.


Essa alteração significa que o marketing digital terá mais tempo para se adaptar à nova era sem os cookies. Esse cenário também mostra que os analistas de marketing estarão prontos para a tecnologia que, futuramente, funcionará como substituta.


Esse cenário não significa que a opção apresentada pela empresa não seja uma possibilidade de uso no lugar dos cookies, mas ainda não é apenas uma alternativa.


Como esperado, surgirão novas ferramentas que terão foco na privacidade que terão grandes chances de fazer um bom trabalho nesse sentido.


Dessa forma, por mais que os usuários pesquisem ideias como “alugar gerador de energia”, por exemplo, a expectativa é que a nova tecnologia ainda faça com que o site fique próximo ao usuário quando acessada.


Nessa área, especialistas especulam que o caminho seja a coleta de dados de forma coletiva, sem especificações individuais. Independentemente da mudança, o mais importante é que o marketing não faça um retrocesso sobre as personalizações das publicidades.


Esse cenário de mudança não só diz sobre como o consumidor está acostumado com os modelos customizados para conhecer as marcas, como também segue ficando cada vez mais exigente.


Nesse sentido, compreendemos que não há espaços para anúncios e conteúdos que não façam uma interação direta com o público-alvo.


Com isso, fica visível a necessidade de usar o tempo que resta para adaptar as estratégias do marketing digital, garantindo que o fim dos cookies não terá significado de personalização das campanhas promocionais.


Contudo, o mais importante a ser feito em momentos como esse, é estar de olho nas tecnologias que devem surgir, independentemente se vir da Google ou de qualquer outra empresa.


Conforme for o andamento das tecnologias, é importante que outros caminhos sejam traçados para que as empresa consigam continuar com os resultados positivos.


Considerando que esse cenário está prestes a se tornar realidade, já estão sendo desenvolvidas alternativas para lidar com essa nova fase.


Caminhos que podem ser traçados

Um dos caminhos que podem ser uma opção para as empresas, é buscar maneiras de trabalhar a jornada do consumidor em tempo real, ou ao menos com mais velocidade sem o auxílio dos cookies.


Essa estratégia pode ser realizada através de plataformas, como usar o Customer Data Platform (CDP), que nada mais é que uma contextualização e aperfeiçoamentos imediatos.


Estes CDPs permitem que seja feita a unificação de dados dos clientes a partir de diferentes pontos de contato, ou seja, será possível entender o perfil do usuário e manter a privacidade individual.


Quando surge algo que envolve mudanças sobre tecnologias tradicionais, é comum que tendências comecem a surgir. Para os próximos anos, a expectativa é o aumento da atenção em first-party data.


Utilidade dos cookies para o marketing digital

Quando o cliente dá permissão de usar seus dados especificamente em um site, as chances para que os gestores desta página consiga fidelizar o usuário são enormes.


Como exemplo, podemos citar os marketplaces, que por sua vez, podem fazer uso dessa alternativa com mais propriedade, visto que os anúncios dentro do site fazem sentido circularem dentro do próprio domínio.


Engana-se quem acha que as possibilidades limitam apenas a utilização dos cookies por parte dos marketplaces. Pense em equipes especializadas em coletas e análise de dados de consumidores. Parte desta análise envolve questões como:


  • Crescimento de anúncios voltado ao contexto;

  • Mais foco em omnichannel;

  • Ultra qualificação de públicos menores;

  • Entre outras questões que envolvem o marketing.


Finalizamos pontuando também que essas direções estão abertas, portanto, tenha certeza de que ir para o lado funcionará da melhor forma para o seu negócio, independentemente da área que for atuar.


Ou seja, pode ser uma distribuidora de produtos químicos até um site de equipamentos de academia, ambas devem se adaptar a uma nova fase digital.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


8 visualizações

Commentaires


bottom of page